ACINFAZ

Postura profissional é tema no Terça Mais

O evento foi dirigido pela consultora de imagem e coach Kátia Taras

O comportamento profissional de uma pessoa é essencial na contratação de empresas, segundo Katia Taras, em palestra no Terça Mais na Associação Comercial e Industrial de Fazenda Rio Grande (ACINFAZ).

A postura profissional é o segundo maior motivo de demissões nas empresas.

A forma como uma pessoa se comporta é essencial, pois, de acordo com estudos a primeira impressão de uma pessoa é fixada diretamente no cérebro das pessoas. Ao vestir-se para ir em uma entrevista de emprego, por exemplo, pode ser um fator decisivo na contratação por parte dos empregadores.

Em conversa com os participantes, Kátia aborda que os maiores desafios enfrentados pelas empresas é o comportamento humano, a relação entre as pessoas.

Os profissionais devem estar sempre em busca de capacitações que o ajudem a construir seus currículos e suas carreias, para o próprio avanço dos colaboradores, que podem alcançar cargos de chefia, por meio de estudo e dedicação.

Kátia reforça que muitas vezes há um conflito com o próprio comportamento de líderes de empresas, que por muitas vezes, deixam de motivas seus colaboradores e afeta o trabalho da equipe. “Se você for bom naquilo que você faz, vai permanecer, argumenta a consultora de imagem.

“Como melhorar tudo isso, então? ”

Segundo as orientações da consultora, um bom profissional deve exercer mais do que a sua função, deve amar o que faz, encantar seus clientes. Pois, isso o diferenciará dos demais. “Às vezes o colaborador fala: Fui contratado para fazer A, vou fazer A”. O que pode ser considerado um erro de acordo com a coach.

Uma das empresas citadas para exemplificar o bom atendimento, é o Walt Disney, onde seus colaboradores são treinados para “encantar”. “É preciso ir além, ser excelente”, finaliza.

A palestrante indaga os presentes, abordando, “o que encanta você? ”. Um bom profissional deve escutar mais, tentar fugir ao máximo da rotina, vida agitada do cotidiano. E a importância de reflexão, para que haja um autoconhecimento. “Se não percebemos a nós mesmo, como vou perceber os outros? ”, argumenta Kátia, que reforça a necessidade de saber ouvir.

A palestra foi finalizada com a abordagem de que as empresas devem ser “um espetáculo”, pois afeta diretamente a experiência do cliente. E esforçar-se sempre para manter uma ética profissional perante todos.