ACINFAZ

Gestão empresarial

A importância de uma boa gestão e conhecer o que está gerenciando

O crescimento de uma organização é uma tarefa que requer esforço, foco e trabalho duro. A gestão empresarial é o conjunto de ações e estratégias aplicadas em um negócio, utilizando de seus recursos financeiros, estruturais e humanos. Em um mercado cada vez mais competitivo, dinâmico e em constante mudança, é indispensável que a gestão empresarial seja assertiva para que as diretrizes e decisões gerem o impacto positivo, necessário para a sustentação do negócio.

A maioria das organizações são compostas por setores e todos são importantes para o crescimento dos resultados. Eles podem ser verticais, apresentando uma relação de hierarquia entre eles; horizontais, situação na qual todos têm “igualdade” de poderes; ou mistos, quando existem alguns setores subordinados a outros e alguns em condição de igualdade.

Independentemente do formato de gestão, sempre existe a divisão de funções entre setores organizados. Saiba quais são os principais setores de uma empresa:

Administrativo – É o setor da empresa responsável pelo planejamento estratégico, gestão, atribuição de tarefas, coordenação, análise de dados e supervisão dos outros setores. As tomadas de decisão e direções da empresa, geralmente, se concentram nesse setor.

Financeiro – Em algumas empresas funcionam paralelamente ou acoplado ao setor administrativo. Como o nome sugere, esse setor é responsável pela gestão de recursos e contas da empresa.

Recursos Humanos – Também conhecido como departamento de pessoal ou gestão de pessoas, é responsável pelo recrutamento, seleção, contratação, relação e acompanhamento dos profissionais por um lado e, em alguns casos, pelo relacionamento com o cliente.

Setor Comercial – Atualmente, em boa parte das instituições, é esse o setor responsável pela relação com o cliente além de envolver o marketing e o processo de vendas.

Setor Operacional – Esse setor da empresa é a “ponta”. É ele que executa a tarefa final, por exemplo, entrega ou venda para alguns negócios e, em outros, diz respeito a confecção do produto final. Gestão logística, maquinário e afins estão na responsabilidade desse setor.

Desafios

As principais dores de um empresário envolvem todos os setores do empreendimento. Aqui estão nove sinais que mostram que uma empresa está estagnada

1 – Ausência de metas

Por mais que os líderes saibam a importância de um bom planejamento estratégico para o crescimento empresarial, o fato é que nem todos conseguem colocar em prática esse desafio ou se perdem em meio a uma rotina estressante e ficam sem saber quais metas traçar. Não há como prosperar sem saber para onde ir. Além disso, metas inconsistentes também podem levar a interpretações diferentes por parte da equipe, o que causa uma confusão ainda maior.

2 – Complexa divisão de responsabilidades

Quando a empresa é pequena e com poucos colaboradores, até que essa tarefa fica mais fácil; mas a medida em que ela vai crescendo e há a necessidade de mais contratações, aumenta a complexidade da comunicação e a empresa acaba estagnada ou pior, com um falso crescimento. Esse problema pode ocasionar: Tarefas importantes que não são completadas, pois um colaborador pensa que o outro está fazendo a tarefa, e desconhece a sua própria responsabilidade; colaboradores que perdem tempo com tarefas não importantes; colaboradores que trabalham nas mesmas coisas, o que gera um desentendimento e ineficiências.

3 – Reclamação constante de clientes

Um mal sinal de que o crescimento empresarial talvez não chegue é quando há um aumento considerável na reclamação dos clientes, seja por um atendimento precário, produtos ou serviços mal feitos. Motivos podem estar ocasionando essas reclamações, como: Colaboradores sobrecarregados ou que não possuem as habilidades para o desempenho do trabalho; falta de estrutura interna para atender a demanda; Colaboradores que não entendem quais são as expectativas dos clientes.

4 – Erros constantes no ambiente empresarial

É fato que os erros acontecem, mas eles definitivamente não podem virar uma regra. Falhas nos processos podem significar problemas graves, seja na gestão, no treinamento ou na escassez de pessoal. Aliás, a maioria dos erros cometidos no ambiente empresarial são causados pela falta de feedback por parte da liderança.

5 – Contratações erradas

Empresa estagnada pode significar a ausência de colaboradores preparados e competentes para os devidos cargos. Então, quando ela ensaia um crescimento, logo se vê em meio a colaboradores que não acompanham o novo ritmo, as novas responsabilidades ou que não aderiram à cultura da empresa.

6 – O empreendedor não quis crescer

O primeiro requisito para obter um crescimento empresarial é a vontade do próprio empresário. Se ele não quer, se não sonha grande e nem está disposto a trabalhar duro e enfrentar todos os desafios para melhorar seus resultados, não tem jeito: a empresa não vai crescer. Também podem ocorrer casos em que o empreendedor tem medo e insegurança de crescer e perder sua fatia no mercado já conquistado.

7 – O empreendedor é mais operário do que empresário

O empreendedor quer, mas não sabe como fazer a empresa crescer, elaborar um Plano de Negócio e nem adota bons métodos de gerenciamento. Um empreendedor operário é aquele que está mais preocupado – e ocupado – em conquistar clientes, em desenvolver o produto, entregá-lo e faturar. Ele não consegue parar e pensar estrategicamente, e isso é um erro grave que compromete o crescimento empresarial.

8 – A empresa não rende o suficiente

De fato, o crescimento empresarial fica seriamente comprometido quando o caixa permanece insuficiente, mesmo depois do tempo de maturidade do negócio. Por isso, é importante calcular qual é o retorno que você está recebendo em relação ao investimento que fez para abrir a empresa – e saiba que mesmo que ela esteja com um saldo positivo, isso pode não ser suficiente em diversos casos.

9 – Gestor incapacitado

A falta de conhecimento em gestão também pode atrapalhar o crescimento empresarial. O empresário precisa saber técnicas e ferramentas para a administrar a sua empresa como um todo. Dessa forma, é muito importante que os gestores invistam em cursos e conhecimentos específicos para estar bem preparados para lidar com riscos, oportunidades e procedimentos rotineiros. Sem conhecimento, fica difícil manter o controle, principalmente em momentos de crise.

Soluções

A ACINFAZ buscou oito especialistas com experiências de gestão, para apontar soluções para os problemas mais recorrentes no dia a dia das empresas. Confira o que cada um deles têm a dizer:

Eron Marchiori

Trabalha na Marchiori Consultoria, é formado engenheiro e economista e atua nas áreas de empreendedorismo, finanças e planejamento. Há mais de 20 anos tem atuado no Sebrae, bancos comerciais e instituições de desenvolvimento.

Como soluções para esses problemas apontados, ele sugere: Distinguir as finanças pessoais e as da empresa, definindo um pró-labore fixo. Organizar toda a movimentação financeira através da escolha de um sistema de gestão adequado à sua atividade. “Isto permitirá um ótimo planejamento financeiro através de um fluxo de caixa”, disse ele.

Também sugere a análise financeira mensal por competência de custos, definindo o lucro real da empresa. A partir deste DRE (Demonstração do Resultado do Exercício), se obterá os indicadores que ajudam a tomar decisões.

 

Liane Hardet

Tem experiência em vendas há mais de 8 anos, atua na área consultoria de vendas e é coach. É analista de perfil comportamental, trabalha com mapeamento e desenvolvimento humano e especialista em inteligência emocional. Atua com ações de PNL (Programação NeuroLinguística) e Física Quântica.

Afirma que as maiores reclamações relatadas pelos clientes é a gestão financeira, de pessoas e de tempo. Para solucionar esses problemas é necessário se posicionar e priorizar o que é importante. “É preciso definir objetivos, planejar novas ações e organizar melhor o tempo. Muitas vezes, as pessoas tem dificuldade de dizer não, acabam falando sim para todo mundo e vão deixando as coisas que são importantes para trás”, comentou ela.

Para a coach, planejamento estratégico é uma das soluções para as dificuldades apontadas. “Planos de ação e organização financeira são essenciais. Na gestão de pessoas é importante dar atenção para o endomarketing (ações de qualificação dos colaboradores da empresa visando um melhor serviço para o cliente). Criar POPs (procedimentos operacionais padrão) e a gamificação (uso de técnicas e jogos para enriquecer contextos relacionados), são atributos que trarão tempo, qualidade e saúde ao gestor da empresa”.

 

Augusto Cézar Jesus

Trabalha na TCA Soluções, tem experiência há 10 anos e atua na área de treinamentos customizados, consultoria de negócios e finanças, marketing digital e oferece soluções gráficas.

Para Cézar a solução para os problemas é o aprendizado. Ele explica: O empresário pode aprender sozinho, lendo livros ou vendo vídeos. É uma atividade solitária, de grande dificuldade e o resultado costuma ser pequeno. Outra possibilidade é buscar o conhecimento com quem já detém, por intermédio de palestras e cursos. O aprendizado é bem maior e a probabilidade de gerar resultados é alta. Por fim, é possível que o empresário busque assessoria e consultoria. O investimento costuma ser mais alto, porém, o resultado tem probabilidade de ser maior.

“Independentemente do caminho escolhido, o essencial é escolher. Quando não fazemos nada, já escolhemos um caminho e, nesse caso, acredito ser o pior”, finalizou ele.

 

Fernanda Pesarini Tarli

Economista e consultora do Sebrae há 22 anos, atua desde 2012 na gestão de projetos do comércio varejista.

Afirma que a solução para os problemas é desenvolver habilidades de liderança, com as quais o empresário consiga envolver e engajar a equipe no negócio. “Delegar funções aos seus colaboradores para que possa se dedicar mais, ter visão de futuro e assim traçar as estratégias para alcançar os objetivos”, citou a consultora.

Fernanda comenta que para tudo isso é necessário foco, disciplina e dedicação. Buscar informações, se capacitar, estar “antenado” nas tendências de mercado e, principalmente, implementar ações contínuas de melhorias em sua empresa.

 

Luiz Rodrigo Gil de Oliveira

Proprietário do Instituto Mix de Profissões de Fazenda Rio Grande há 5 anos. Graduado administrador de empresas, pós graduado em Logística e MBA em Logística Operações e Serviços.

Para ele, quem tem maior dificuldade com relação aos processos de gestão são os colaboradores. “Transmitir o processo para o novo colaborador e evitar que os antigos deixem de seguir os processos gerenciais padronizados é uma grande dificuldade”, disse. Para ele, a melhor forma de superar isso é o acompanhamento constante e prontas tomadas de ação quando os indicadores apontam para o desvio dos resultados esperados.

 

Osnei Francisco Alves

Administrador, contador, doutorando em administração, consultor empresarial e docente de cursos de gestão e contabilidade.

Para ele, é preciso ir além das expectativas do cliente e saber como chegar até ele. “Não é o que você quer, mas o que o cliente deseja”, disse ele.

Alves afirma que a solução é ter uma visão externa sobre o produto e o que o público deseja, em seguida, mensurar e planejar isso internamente. Considera importante também sempre manter a equipe de colaboradores atualizada. “Sempre deve capacitar as pessoas, dificilmente encontrará alguém pronto. Fazer uma gestão de conhecimentos dentro da organização e assim prover soluções”.

Para Osnei, todo o gestor precisa ter a capacidade de liderança, “se ele está nesse papel, terá que despertar esse interesse e condição das pessoas desempenharem suas funções”. Ser um líder que observa o caminho e motivar todos para atingir os objetivos da empresa, afirmou Alves. “Ninguém é gestor de equipamento, mas sim de pessoas”.

 

René Ribas

Trabalha atualmente na ActionCOACH, tem mais de 30 anos de experiência no mercado de alta tecnologia e grandes multinacionais.

Ele vê como solução, em primeiro lugar, ter controle absoluto da empresa. Em segundo, aumentar a rentabilidade do empreendimento através de vendas e a definição correta das margens de lucro. O terceiro passo é diminuir a carga de trabalho operacional e focar nas questões estratégicas.

Quarta parte é construir uma equipe de liderança, para que possa dar suporte ao empresário, mas sem que ele perca o controle ou deixe de acompanhar o processo. E depois de tudo isso, trabalhar na diversificação, “no nosso entendimento, quando o empresário se torna um investidor, não deve colocar tudo em um único negócio, precisa diversificar”, comentou René.

 

Paulo Cesar da Silva

Consultor empresarial, mestre em planejamento e professor universitário.

Para ele, a partir do momento que a empresa entende que tudo é interligado, não deve focar somente no preço e produto, esquecendo do cliente interno e externo. “Uma grande dificuldade que o empresário tem é olhar isso de uma maneira mais sistêmica. A gestão empresarial é feita nos detalhes, o grande problema é que as pessoas não querem sair da zona de conforto”, finalizou ele.

ACINFAZ

A gestão de um empreendimento é um grande desafio, tanto para pequenas, quanto para grandes empresas. A ACINFAZ tem conhecimento das dificuldades e barreiras que os empreendedores precisam superar diariamente. Com objetivo de contribuir com associados, a ACINFAZ promove ações para fortalecer e torná-los mais competitivos.

“Varejo Mais em Ação, Campanha de Natal e palestras semanais são alguns exemplos de ações que promovemos com a intenção de contribuir com fortalecimento dos associados”, disse Marcos Vicente, agente comercial da ACINFAZ.

O desafio de toda empresa, portanto, é possuir uma gestão adequada, produtos e serviços de qualidade e uma boa estratégia de atuação que permita competir e aproveitar bem as oportunidades que o seu mercado oferece. Reconhecemos que o empresário deve se manter sempre atualizado e dentro de um bom ritmo de crescimento, pois além de atingir o sucesso nos objetivos da empresa, certamente contribuirá para o desenvolvimento socioeconômico da cidade.

Se considerar que faltou algum item na matéria ou nas ações promovidas pela ACINFAZ, mantenha contato com a entidade e faça a sua sugestão.