ACINFAZ

Cidades inteligentes

[vc_row][vc_column][vc_custom_heading text=”O que são e como se desenvolvem as soluções de urbanismo, inovação e cidadania em uma smart city” google_fonts=”font_family:Ubuntu%3A300%2C300italic%2Cregular%2Citalic%2C500%2C500italic%2C700%2C700italic|font_style:400%20regular%3A400%3Anormal”][/vc_column][/vc_row][vc_row css=”.vc_custom_1451912129406{margin-top: 20px !important;border-top-width: 20px !important;padding-top: 20px !important;}”][vc_column][rd_line color=”#d8d8d8″ use_icon=”yes” icon_size=”10″ icon_pos=”center” width=”50″ line_pos=”center” icon=”ty2-sun”][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text font_size=”18″]Nos dias 26 e 27 de março de 2020, o Paraná volta a receber a terceira edição brasileira do maior evento sobre cidades inteligentes do mundo, o Smart City Expo Curitiba 2020 (SCECWB 2020). A expectativa de público do evento é de 10 mil pessoas, sendo que na edição de 2019, o número foi de 6,7 mil. Mas o que são cidades inteligentes? Como uma cidade pode criar soluções para que seja considerada smart?

“Quando alguém escuta pela primeira vez o termo cidade inteligente, pode pensar que existam ‘cidades burras’, ou então que o termo se refira à cidade futurista dos Jetsons. Esse é o problema dos rótulos. O termo smart city acaba sendo traduzido para ‘inteligente’, mas não reflete exatamente o que a palavra ‘smart’ significa. Em suma, uma smart city é uma cidade que utiliza tecnologia e planejamento para melhorar a vida dos cidadãos e fazer melhor uso dos recursos disponíveis de forma humana e sustentável”, explica Eduardo Mazzarolo, sócio diretor estratégico do iCities – empresa especializada em projetos e soluções para cidades inteligentes, que organiza o SCECWB.

O percentual da população que vive em grandes cidades é muito grande, porém, segundo a ONU, esse percentual pode chegar a 70% em 2050, o que coloca uma imensa pressão na demanda por recursos, infraestrutura, habitação, entre outros. Sem planejamento e entendimento real dos problemas, as cidades se tornam um grande caldeirão de problemas sociais e ambientais, fazendo com que grande parte da população viva em más condições.

 

INVESTIR EM CIDADES

Cada vez mais, as pessoas vivem e trabalham nas cidades, não nos estados e muito menos em países. A necessidade por se utilizar mais tecnologia e planejamento é para que os gestores possam proporcionar melhor qualidade nos serviços públicos, como por exemplo reduzindo filas nos postos de saúde, melhorando o acesso à educação, à água e energia elétrica de forma inclusiva, melhorando a segurança pública.

“Do lado privado, uma cidade inteligente atrai mais empresas, universidades, e, por consequência, proporciona maior oportunidades de capacitação e emprego para a população em todos os níveis. Não se pode dizer que uma cidade é ou não é inteligente. Cidades em todo mundo podem ter bons indicadores de mobilidade urbana, por exemplo, mas ruins no quesito de poluição do ar. Outras podem se destacar no empreendedorismo e inclusão social. Hoje já existem normas internacionais que buscam padronizar o conceito em todo o mundo, como as ISO 37.120, 37.121 e 37.122”, pontua.

Para se ter uma ideia da amplitude do conceito, tanto Cingapura – cidade-Estado que é centro financeiro global no sul da Malásia – quanto Hong Kong, Tóquio (Japão), Londres (Reino Unido), Barcelona (Espanha), Amsterdam (Holanda) podem ser consideradas smart cities, bem como as latinas Puebla (México) e Curitiba.

AMBIENTE DE CONEXÃO

Segundo Beto Marcelino, cofundador do iCities e embaixador da FIRA Barcelona no Brasil, um evento como o Smart City Expo Curitiba proporciona um ambiente de conexão de negócios, geração de conhecimento e networking.

“Existem diversos impactos econômicos para a cidade, movimentando a economia local de negócios e de turismo, bem como atraindo empresas para a cidade, com a posterior geração de novos empregos. Além disso, o impacto de grandes eventos com o tema de desenvolvimento das cidades afeta diretamente a população e pode trazer inúmeros benefícios que vão contribuir para a melhora da sua qualidade de vida”, destaca.

O SCECWB é chancelado pela FIRA Barcelona, consórcio público espanhol formado pela Prefeitura de Barcelona, Governo da Catalunha e Câmara de Comércio de Barcelona, e que é o organizador do Smart City Expo World Congress, maior evento sobre cidades inteligentes do mundo, realizado anualmente em novembro na capital catalã.

RENOVAÇÃO URBANA

As principais consequências de uma cidade inteligente, que podem ser notadas no aspecto social, são a melhoria na segurança para a população local, bem como para turistas, com mais eficácia no policiamento e na renovação urbana, segundo Marcelino. “A construção de novas estruturas, edifícios, praças, centros de esportes, parques urbanos; melhoria e renovação dos meios de transporte, com a criação de novas vias, renovação das frotas de ônibus, entre outras intervenções de mobilidade. Todos são de extrema importância para a cidade, pois deixam um legado que a população consegue aproveitar — consequentemente, melhorando sua qualidade de vida”.

“Como o tema é muito recente, apesar de já ser discutido de outras maneiras há décadas atrás, é muito importante colocar o assunto em pauta e criar discussões entre os principais atores que moldam uma cidade, como gestores públicos, empresas privadas, academia e sociedade civil organizada”, justifica o diretor.

“SMART CITIES EM AÇÃO”

Com dois dias de evento, o SCECWB 2020 é dividido em duas áreas principais: a de exposição, com startups e grandes players mundiais expondo soluções para melhorar a qualidade de vida das pessoas nas cidades do futuro. E a área de congresso, necessita a compra de ingressos, que permite uma grande imersão para empresas, pesquisadores, estudantes e representantes mundiais que buscam conhecer e discutir sobre os conceitos de cidades inteligentes.

O tema do evento, que será sediado no Centro de Eventos Positivo (antigo Expo Barigui), é “Smart Cities in Action”. “Queremos transformar o cidadão em protagonista para materializar as ações de smart cities. Na primeira edição do Smart City Expo Curitiba, em 2018, falamos muito sobre inovação como motor para o desenvolvimento econômico, e na segunda, em março passado, sobre como planejar as cidades que queremos. Agora, vamos não só planejar, mas agir para transformar nossas cidades”, afirma Caio Castro, sócio-diretor do iCities.

CONECTIVIDADE E NEGÓCIOS INOVADORES

O congresso do Smart City Expo Curitiba 2020 terá cinco temáticas que dialogam com essa proposta. A primeira delas, “Sociedade Inteligente e Cultura”, irá tratar sobre engajamento cívico; cidades criativas; desenvolvimento social e cidades inclusivas; participação cidadã nas decisões públicas; futuro do trabalho, culturas urbanas; terceiro setor e organizações sociais; empoderamento e participação cidadã; e transformação digital.

Já a temática “Viabilizando Tecnologias para Conectividade” se dedica a temas como segurança de dados; inteligência artificial; internet das coisas; Big Data; governança baseada em dados abertos; tecnologias disruptivas em escala urbana; agricultura urbana; robótica e veículos autônomos.

A missão da temática “Modelos de Negócios Inovadores” é debater ecossistemas de startups; cidades criativas; regulamentação; ambiente de negócios como motores econômicos; infraestrutura e conectividade 5G; novos modelos de fomento; economia circular; distritos de inovação; atração de talentos; cidades conectadas e turismo; e indústria 4.0.

GOVERNANÇA E ESPAÇO URBANO

A quarta temática, “Renovação do Espaço Urbano”, discutirá mobilidade urbana; cidades criativas; ocupação dos espaços públicos pela sociedade; urbanismo sustentável; planejamento urbano; segurança urbana; construções sustentáveis e edifícios inteligentes; revitalizações de centros urbanos; cidades resilientes; moradias acessíveis; transporte multimodal; inovação social; sociedade inteligente e cultura; e governança e revisão de políticas públicas.

Por último, parte da programação será pautada pelo tema “Governança e Revisão de Políticas Públicas”, que tratará de plano diretor; desburocratização; rehierarquização viária; governança e GovTech; gestão pública ágil; políticas públicas; processos de inovação no setor público; parcerias público privadas; mudanças climáticas; governo aberto; articulação multissetorial; e políticas de investimentos.

BOX 1:  ESPÍRITO DE INOVAÇÃO GUIA O ICITIES

Fundada em 2011 como uma empresa destinada a concretizar o espírito de inovação que começava a surgir em Curitiba, o iCities foi pioneiro em traduzir em eventos o tema de cidades inteligentes. “A ideia inicial de criar uma empresa que tivesse vocação para trabalhar com inovação veio de nosso relacionamento com pessoas ligadas ao tema em grandes empresas. Em 2012, quando fizemos o primeiro Fórum Internacional iCities, queríamos demonstrar que o mundo estava caminhando para esse cenário de tecnologias acessíveis, de rupturas que mudam as nossas rotinas. Basta ver a quantidade de serviços e utilidades por meio de um smartphone”, enfatiza Marcelino.

O iCities superou as expectativas da FIRA Barcelona, conforme avaliação apresentada no encerramento da primeira edição do evento, realizada em 2018. Como resultado, o consórcio público-privado catalão renovou a chancela do Smart City Expo Curitiba até 2021 – ou seja, além da terceira edição, a quarta já está confirmada no ano que vem.

SMART CITY CURITIBA

Segundo Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Curitiba ficou entre as seis cidades mais inteligentes do mundo no City Awards, realizado no Congresso Smart City de Barcelona, em novembro de 2019. “O Vale do Pinhão completa três anos de muitas conquistas. Neste período, integramos o ecossistema, demos credibilidade às instituições, conectamos, celebramos e pactuamos o amor e o compromisso por uma cidade mais empreendedora, com mais oportunidades, mais preparada e mais colaborativa”.

Ela comenta que a agência promove a cultura de inovação na capital paranaense. “É uma marca excelente, mas queremos mais. Temos a determinação do prefeito Rafael Greca de avançar cada vez mais, junto com o Vale do Pinhão, o movimento do ecossistema de inovação de Curitiba, que hoje já se estende à Região Metropolitana, por meio de uma parceria da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Sebrae e Assomec”.

De acordo com Cris, a realização da Smart Cities Expo 2020 em Curitiba é uma oportunidade de troca de conhecimentos, de negócios, de ver o que está sendo feito no resto do mundo e mostrarmos a evolução de cidade, que tem uma tradição em inovação e cidade inteligente. “Tecnologia, inovação e Smart City são áreas que avançam com muita rapidez, por isso é fundamental esse intercâmbio de informações. Além disso, a Feira e o Congresso dão acesso a esta discussão a toda a população”, disse.

A presidente da agência comenta que estão fazendo o mapeamento do ecossistema de inovação e economia criativa da Região Metropolitana, para fazerem projetos integrados em todas as cidades. “As cidades precisam ser cada vez mais inteligentes para facilitar a vida das pessoas, prover serviços melhores e com rapidez. As cidades precisam ser humanas, inteligentes, inclusivas e ágeis para atuar em favor do cidadão”, finalizou.

Beto Marcelino comenta que em Fazenda Rio Grande já existem grupos de desenvolvimento econômico, por exemplo, a ACINFAZ. Que, para ele, que é uma associação comercial dentro de uma cidade que faz parte de um eixo estrutural e estratégico para região metropolitana e para o estado do Paraná. “Esses grupos fazem parte de uma estratégia maior, com planos econômicos e com a questão da sustentabilidade em conjunto com a estratégia ambiental de flagrar projetos de smart cities”. Segundo ele, a cidade pode se tornar um celeiro de talentos e inovação, caso consigam estimular essas ideias dentro do município. “A Fazenda demonstra um crescimento e é um bom exemplo de municípios que estão investindo”.

INSCRIÇÕES

Inscrições e compra do passaporte para a área de congresso podem ser feitas pelo site oficial do evento: https://www.smartcityexpocuritiba.com. O acesso à área de exposição, em que dezenas de empresas apresentam soluções e produtos inteligentes, é gratuito mediante entrega de 1 kg de alimento, agasalhos e itens de higiene.

SERVIÇO

Smart City Expo Curitiba 2020

Local: Centro de Eventos Positivo (Alameda Ecologica Burle Marx, 2518, Parque Barigüi – Santo Inácio – Curitiba)

Data: 26 e 27 de março de 2020[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]