ACINFAZ se reúne com prefeito e vereadores para se posicionar frente ao Decreto Municipal nº 5551/2021

No último dia 28 de fevereiro, diretores da ACINFAZ, juntamente com o presidente, Gastão Fabiano Gonchorovski, reuniram-se com os vereadores municipais, secretários e o prefeito, Nassib Kassem Hammad, para a discussão do Decreto Municipal nº 5551/2021, que estabelece o fechamento de atividades econômicas consideradas como não essenciais. O encontro foi organizado pelo presidente da Câmara, vereador Alexandre Tramontina Gravena.

As medidas restritivas para um considerável número de atividades comerciais, foram tomadas de “forma dolorosa”, segundo o prefeito, que entende a necessidade da circulação econômica. No entanto, com o agravamento da ausência de leitos hospitalares preparados para pacientes que contraíram o Covid-19 dentro do Paraná e também por orientação da Secretaria Municipal de Saúde, foi este o motivo do decreto local que acompanhou o pedido do Governo do Estado, por meio do Decreto Estadual 6983.

O presidente da ACINFAZ, em seu pronunciamento, levou as manifestações do setor comercial, aqueles considerados não essenciais, que por força dos decretos, estão com as atividades paralisadas e em consequência disto, o desequilíbrio do fluxo de caixa das empresas e o consequente desemprego que isto pode ocasionar. “É necessário e fundamental que o setor produtivo continue firme e em funcionamento, pois, desta forma é que estaremos contribuindo com a responsabilidade social a sociedade”, concluiu.

Na ocasião, a empresária Angela Nichele, que integra o conselho da entidade, defendeu a abertura e a continuidade das aulas nas escolas particulares, onde segundo ela, estão totalmente preparadas para receber os alunos com todos os protocolos de segurança contra a Covid-19.

Na audiência, ficou aprovada pelos vereadores presentes, a instalação do Comitê de Crise para o acompanhamento as decisões dos decretos e outras medidas, com relação ao enfrentamento do Covid-19. Para o presidente da Câmara Municipal, é muito importante que a rotina comercial esteja em funcionamento, desde que com os devidos cuidados, para que o município não amargue prejuízos futuros.

Créditos de fotos: Caio Szadkoski

PUBLICIDADE