Neste 27 de março, aconteceu de forma remota, a reunião do Comitê de Enfrentamento a Crise do Covid-19, do município de Fazenda Rio Grande, coletivo de lideranças que expõem e contribuem para a tomada de decisão com relação a atual pandemia. A ACINFAZ, mantém cadeiras neste grupo. Representaram a associação, Gastão Gonchorovski, Luís Rodrigo Oliveira e Giulianno Gomes, respectivamente, presidente, diretor de Capacitação e Gerente Geral.
Com a extensão do Decreto Estadual publicado na última sexta-feira sob o nº 7194/2021, que se estende até a data de 05 de abril, os municípios circunvizinhos a Curitiba, permanecem com as atividades consideradas não essenciais fechadas, podendo apenas operar na forma de delivery.
O diretor da ACINFAZ, Luís Rodrigo, sugeriu a unidade dos municípios do entorno da Capital, para acharem uma solução viável e imediata a situação. Já, em sua fala, o presidente da ACINFAZ, Gastão Gonchorovski, que também preside o Conselho de Desenvolvimento Econômico local (PROFAZ), chamou a atenção sobre a situação econômica instável que estamos atravessando e que a tendência será de agravamento, se as atividades não voltarem com as suas operações de forma imediata, onde muitas empresas e atividades terão de encerrar de uma vez o seu funcionamento, o que causará o desemprego e o endividamento do empresário, causando-lhe transtornos muitas vezes irreversíveis. Também, em sua explanação, traçou um paralelo sobre a importância dos pequenos negócios, responsáveis diretos na promoção do primeiro emprego para aqueles que estão iniciando a sua vida profissional e que sem muitas destas empresas em funcionamento, além das demissões que estão ocorrendo, fica ainda mais difícil o ingresso principalmente dos jovens no mercado de trabalho. Neste ato, Gonchorovski também frisou sobre a queda considerável de arrecadação que a prefeitura terá, podendo comprometer inclusive, a manutenção dos serviços públicos e o salário dos servidores.
A ACINFAZ está sensível com aumento do contágio do vírus, no entanto, uma flexibilização das atividades empresariais é defendida pela entidade, pois, sacrificar os mesmos setores a todo o momento, somente acarretará um desafio ainda maior no futuro.

PUBLICIDADE