ACINFAZ

A equidade, o equilíbrio social e o progresso econômico (Edição 111 – Agosto 2017)

[vc_row][vc_column][vc_column_text]

Prezado leitor,

Fazenda Rio Grande, como todas as cidades, vive seus desafios diários, em temas como o crescimento populacional, que se desdobram em pautas de segurança, saúde, educação, meio ambiente, entre outros assuntos não menos importantes, merecendo a atenção de toda a população. Temos de destacar que fatores como a equidade, o equilíbrio social e o progresso econômico devem estar atravessando este percurso juntos, para que possamos equilibrar os diferentes meios, sem que se crie um viés desnecessário, que causa engodos, quando tratamos um tema de planejamento municipal.

Assim, nossa Fazenda Rio Grande, com os seus 27 anos, seguramente com mais de 100 mil habitantes, traz como um de seus títulos “uma das cidades que mais crescem”, enfrentando problemas que devem ser equacionados de forma rápida. Mas também é compensada de outra forma, com a imagem de ser um município de oportunidades.

Neste sentido, faz-se necessário alinhar um replanejamento municipal e este novo estudo não pode ficar a cargo somente do poder público local. É fundamental que as lideranças da sociedade civil sejam as vozes representativas das comunidades, para que o diálogo seja amplo, permanente e que o resultado seja positivo, buscando os fatores da equidade, do equilíbrio social e do progresso econômico.

E é desta maneira que a ACINFAZ tem enxergado que Fazenda Rio Grande pode e deve ser um município de orgulho para todos que aqui habitam e trabalham. Não existe outra forma de contribuir sem participar, porém esta participação deve ser organizada. Para isto, assinamos nestes últimos dias, um documento histórico para a nossa cidade, denominado de Pacto para o Desenvolvimento Econômico Sustentável, que é o início da grande ideia do Fazenda Rio Grande 2050, que há várias edições tenho discorrido sobre este tema.

Já está visível que teremos um trabalho voluntário que será intenso e exaustivo, mas amplamente necessário. É a hora de gerenciar as vaidades, para que este compromisso seja colocado em prática, pois, se ainda sonhamos com uma cidade que seja orgulho, este é momento.

Continuamos avançando!

[/vc_column_text][vc_column_text]

Gastão Fabiano Gonchorovski

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.