Entrevista: Marco Tadeu Barbosa (Edição 103 – dezembro/2016)

 Entrevista: Marco Tadeu Barbosa (Edição 103 – dezembro/2016)
Marco Tadeu Barbosa

Marco Tadeu Barbosa é empresário do setor imobiliário, ex-presidente da ACIM (Associação Comercial e Empresarial de Maringá) – função a qual ocupou por dois mandatos seguidos – e vice-presidente do CODEM Maringá (Conselho de Desenvolvimento de Maringá). Em janeiro, assumirá a presidência da FACIAP (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná).

Em conversa com a Revista ACINFAZ sobre o Conselho de Desenvolvimento Local fazendense e o Fazenda Rio Grande 2050, Marco Tadeu comentou que o CODEM surgiu no momento em que a cidade apresentava um declínio. Por isso, a sociedade civil organizada assumiu a responsabilidade de pensar no desenvolvimento.

Para que Fazenda Rio Grande se torne ainda mais promissora daqui a trinta anos, as ações do presente deverão produzir resultados a longo prazo. Na opinião de Marco Tadeu Barbosa, para se cumprir metas para o futuro sem que os objetivos se percam ao longo dos anos, é necessário, em primeiro lugar, ser persistente. “Se em outros lugares está dando certo, aí tem que dar certo também. Tenha uma coisa em mente: isso é transformador”, diz. Veja o que mais ele fala sobre o assunto:

O Conselho de Desenvolvimento Local de Fazenda Rio Grande está em fase de estudos e busca ter a mesma essência do CODEM Maringá, com foco em um novo modelo de desenvolvimento econômico para o município. O CODEM já tem duas décadas de atuação e se apresenta como um projeto de sucesso, sendo, muitas vezes, uma referência para outros municípios do Paraná e, até mesmo, do Brasil. A que fatores o senhor atribui esse êxito?

Marco Tadeu Barbosa – Ao envolvimento da sociedade. Em Maringá, existe uma sociedade civil organizada que se envolve realmente com os problemas da cidade, não apenas na questão do desenvolvimento, e eu percebo isso aí em Fazenda Rio Grande. Então, podemos atribuir esse êxito ao envolvimento da sociedade, que passou a entender que não adianta cruzar os braços, reclamar e ignorar o que o Poder Público faz. Quando ela atingiu essa maturidade e puxou a responsabilidade para si, a coisa começou a andar de forma muito positiva. Os resultados estão aí para comprovarmos.

O poder público tem que ver o Conselho de Desenvolvimento como um parceiro, não como um concorrente, pois ele não interfere na gestão, que é feita pelo gestor público. É importante que exista esse entendimento, senão a coisa não anda. A cada nova eleição, o Poder Público se renova, diferente do CODEM, que é permanente. Independentemente de quem ganha a eleição, o Conselho de Desenvolvimento é sempre um parceiro do desenvolvimento da cidade.

Considerando que a participação da sociedade torna-se imprescindível para o desenvolvimento dessa ideia, de que forma é possível sensibilizar pessoas e entidades, de modo que participem ativamente das deliberações e ações do Conselho?

Marco Tadeu Barbosa – Mostrando onde já está dando certo. Eu acho que é importante mostrar a evolução, o antes e o depois dessas ações, para que se possa sensibilizar a sociedade. Eu falo de Maringá, mas outras regiões já estão avançando: Foz do Iguaçu está muito avançada nesse sentido, Cascavel também, Londrina está caminhando.

Em Maringá, nós apresentamos o projeto do Masterplan [planejamento para até 2047, quando Maringá completará cem anos], fomos nas entidades representantes de toda a sociedade, e pedimos apoio. Todos eles entenderam, porque conhecem o Conselho de Desenvolvimento, conhecem os agentes que estão por trás e isso ajuda muito. Então, é necessário mostrar dados e números. E outra, tem que sensibilizar todo mundo: igreja, maçonaria, associações, sindicatos, não só os patronais, mas os laborais também, e envolver toda a sociedade.

Só para se ter uma ideia, para o Masterplan, angariamos doações de grandes empresas e entidades, mas também de taxistas, restaurantes, pequenas agências de viagem, etc. Os pequenos também doaram, prestaram serviços. Então, é projeto de todos.

Marcos Barbosa fala que a ACIM teve um importante papel na criação do CODEM Maringá, assim como a ACINFAZ está tendo em Fazenda Rio Grande. Segundo Barbosa, as associações comerciais têm credibilidade para participar disso, pois são o porto seguro do setor produtivo e de muitos projetos da sociedade.

ACINFAZ

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.