Entrevista: Claudemir José de Andrade (Edição 117 – fevereiro/2018)

 Entrevista: Claudemir José de Andrade (Edição 117 – fevereiro/2018)
Claudemir José de Andrade

Claudemir José de Andrade é secretário municipal de Administração de Fazenda Rio Grande desde 2014. Em 2009, tornou-se secretário de Planejamento Urbano da cidade, tendo passado também, ao longo desse período, pela Secretaria Municipal de Obras. Administrador por formação, é especialista em Gestão Pública, área em que atua desde 1988.

Nesta edição, Andrade dá sua opinião a respeito do Fazenda Rio Grande 2050 e fala dos impactos desse projeto para o município. O secretário também comenta sobre o andamento do convênio entre ACINFAZ e prefeitura, que dará as condições necessárias para o início das atividades estratégicas.

Qual é a sua visão em relação ao Fazenda Rio Grande 2050?

Eu acho esse projeto brilhante. É um projeto que vai trazer para a cidade a construção de um plano de desenvolvimento sustentável extremamente favorável. Quando abrimos a discussão para saber o que as pessoas pensam da cidade onde moram, trabalham e criam seus fi lhos, geramos a condição de fazer com que o município melhore e as pessoas melhorem também. Esse projeto vai trazer esse subsídio.

Eu sempre falo que estamos aqui enquanto o povo quiser que a gente fi que, mas, estando aqui, temos que dar o nosso melhor, para que possamos dar respostas para as pessoas que votaram no prefeito, o prefeito que nos colocou no cargo. Nós vamos chegar ao fi nal do mandato com esse projeto pronto. O [prefeito] Marcio [Wozniack] sempre fala: ‘depois, quem sentar na cadeira de prefeito, vai ter mais facilidade para tomar decisões, porque vai ter um embasamento’.

Nós sempre buscamos acertar, temos uma boa equipe de desenvolvimento de projetos aqui na prefeitura, então temos investido muito, de 2009 para cá, em infraestrutura urbana. A cidade precisa disso e isso tem feito com que as pessoas comecem a mudar o seu pensamento em relação à Fazenda Rio Grande, as empresas começam a chegar, isso cria uma onda positiva e o empresário vê aqui uma terra de oportunidade. E a Fazenda é, em minha visão, se eu pudesse resumir em uma frase, uma cidade de oportunidades.

Como um projeto de desenvolvimento conduzido pela sociedade civil organizada pode impactar o município? De que forma você avalia o grau de benefício futuro para a cidade e a população?

Vai impactar positivamente. Se fosse para avaliar com uma nota de zero a dez, eu diria que nós chegaríamos pertinho do dez. Quando abrimos o debate para discutir os problemas da cidade, podemos encontrar a melhor solução, porque vamos errar menos. Quando você ouve pessoas e elas têm pensamentos diferentes – são representantes de diversas entidades, de igrejas, de associações, são lideranças – a visão delas se torna muito valorosa para o gestor público. O Fazenda Rio Grande 2050 vai trazer justamente isso, vai pegar essas pessoas, todas de pensamentos diferentes, e vai apresentar a melhor solução para os problemas da cidade.

Enquanto secretário municipal de Administração, você pode comentar como vai se desenhar esse convênio que será assinado com a ACINFAZ, para dar o início às atividades?

Isso foi precedido de um projeto de lei, então já temos a aprovação do Legislativo. Agora, vai ser feita a apresentação do plano de trabalho pela ACINFAZ e, depois da apresentação desse plano, será gerado um termo de repasse.

Nós vamos firmar um convênio de transferência financeira e esse recurso que foi aprovado na Câmara Municipal será utilizado única e exclusivamente para o plano de desenvolvimento de Fazenda Rio Grande, o Fazenda 2050. É assim que vai funcionar.

O tempo de duração disso será previsto no plano de trabalho, mas nós estamos com a expectativa de começar logo. Gostaríamos de ter esse trabalho concluso ainda este ano.

ACINFAZ

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.